Mensagens

A mostrar mensagens de 2010

Quando me comecei a ir embora

Comecei a ir-me embora… não me consigo lembrar quando. Comecei a ir-me embora, quando o meu marido, namorado, na altura, disse:”-Tens de voltar para casa. Isto nunca vai dar certo.” Eu não voltei para casa, fiquei, teimosa, assustada, perdida, mesmo assim fiquei, mas fui-me embora um pouco. Quando o meu pai foi trabalhar e me deixou sozinha, sem conseguir fazer o problema da escola, sem mais ninguém para ajudar, também fui embora um pouco. E quando os meus tios da Ilha de Moçambique se despediam na sala, entre lágrimas e cumprimentos, e eu sabia que não nos veríamos mais, nenhum de nós se veria de novo; e quando o avião levantou voo e as luzes foram ficando cada vez mais longe, e o meu pai, que nunca chorava, chorou, e todos choraram, e eu chorei porque queria ir de volta para casa, para a minha rua, para o meu sol cor de laranja, fui-me embora um pouco. Naquele dia em que a minha mãe não fez o almoço, como costumava fazer, e se foi deitar, como nunca fazia de dia, e não acordou nunca ma…

Querido Pai Natal:

Tanto caminho na estrada

Houve alturas em que andava perdida e queria encontrar nos outros a razão de viver. Houve alturas em que oferecia ao mundo a face chorosa em busca de algum consolo e amizade. Tempos houve em que saia à rua, de manhã, com a esperança secreta de encontrar o “salvador”, o príncipe do cavalo branco, o benfeitor… Tempos houve em que me dei inteira, em troca de nada. Olhava o rosto de tantas pessoas desconhecidas, atarefadas, animadas ou sérias, e achava impossível que nenhum deles detivesse os olhos em mim. Achava que mais dia, menos dia, ia aparecer alguém para me descobrir, para me proteger, para me ajudar. Quantas vezes esmolei em silêncio alguma palavra de carinho, de compreensão! Quanto esperei confiante primeiro, desconsolada depois, por algum acontecimento milagroso. Podia ser uma carta, um telefonema, uma visita, qualquer coisa podia ser. Desde que parasse o sofrimento, a solidão, qualquer remédio era bom. Mas para espanto meu, ninguém veio, ninguém reparou nas minhas lágrimas, ning…

Minha querida filha:

Queria ser grande

Fugi de mim

Lembranças