sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 28 de março de 2011

Acredito sempre


Quando me dizem: Crê!, eu creio e quando me dizem: Vai ser!, eu espero que seja.
No fundo, ainda muito do que está dentro de mim continua como sempre foi. Intocado e por desbravar, à espera. Sou incapaz de não acreditar quando alguém me promete uma coisa. Fico à espera com toda a confiança, nem me passa pela cabeça que a pessoa pode estar só a ser simpática, pode estar só a jogar o costumeiro jogo social do “fica bem dizer que sim”. Às vezes espero uma carta, às vezes um telefonema, às vezes uma foto, uma prenda atrasada de anos, uma visita que nunca acontece… Tantos anos se passaram por mim, tantos desenganos, tantas desilusões e mesmo assim, quando me prometem alguma coisa, nem me passa pela cabeça não acreditar! Depois espero e espero e volto a esperar. Primeiro com firmeza, com confiança, com a certeza que é só minha e que me vem de não conseguir deixar de acreditar. Depois, à medida que o tempo vai rolando, espero com uma certa tristeza, com um certo receio de que afinal talvez não vá acontecer, que afinal talvez não vá chegar. Quando já é tão certo que o esperado nunca vai ser real, começo na difícil tarefa de arranjar desculpas: Talvez não tenha tido tempo, talvez se tenha esquecido, talvez ainda chegue um dia, talvez para a semana, talvez para o ano.
Bem dentro do meu coração, acho que nunca deixo de esperar, acho que a esperança continua sempre dormente na minha alma. Cada dia, cada hora, são na minha triste maneira de ver as coisas, menos um dia, menos uma hora. Porque será que sou assim? Porque será que teimo em não aprender? De onde me vem esta incapacidade de assimilar o óbvio? Porque é que não consigo encarar a realidade tal qual ela é, e insisto em acreditar sempre?
E no entanto gosto de mim por ser assim! Gosto de ser uma alma inquieta, humilde, esperançosa. Gosto da minha habilidade de nunca desconfiar, de pensar sempre o melhor, de crer que um dia será. Gosto de quando fico a sós comigo própria, poder sentir que todos os dias podem ser dias de acontecer coisas novas e maravilhosas. Mesmo que o tempo implacável se arraste num sem fim de nada, mesmo que as semanas e os meses se transformem em anos, e os anos consumam o resto da minha vida e a disfarcem de quase vida.
Mesmo assim, escondida pela cara triste, molhada por lágrimas silenciosas, perdida no meio da solidão, está sempre aquela que acredita, que crê, que espera se lhe dizem que vai ser assim. Tudo podia ser tão mais fácil se houvesse um dia em que as coisas que espero, começassem realmente a acontecer!

1 comentário:

  1. Glória, muito legal esse seu texto.Acho que você é uma pessoa especial, cheia de sonhos e que espera que o dia de amanhã seja melhor do que o de hoje. Não sei qual sua religião, só sei que ela também deve te ajudar a ser assim, uma pessoa com pensamento positivo. Felicidades por ver o lado bom das pessoas. Beijos. Iolanda

    ResponderEliminar