sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Devia cuidar melhor de mim

Devia…
Preservar-me do sofrimento.
Proteger-me de tudo o que me possa deixar triste.
Fugir de tudo o que me possa fazer chorar.

Mas assim não sou eu.
Deixo de ser quem sou.
Se não arriscar,
perco a liberdade de sonhar.

Bem sei que a história da minha vida
tem sido um risco constante.
E sei que a maior parte das vezes,
tenho saído muito maltratada das minhas lutas
e das minhas batalhas.
Têm-me encostado contra a parede,
Têm-me empurrado,
Têm-me feito chorar,
Têm-me levantado a saia da alma
E têm-me violado o coração.
Têm-me deixado sozinha,
Têm-me desfeito as ilusões,
Têm-me feito perder as esperanças,
e têm reduzido o meu amor a mera distracção passageira.

Mas também tenho tido momentos muito bons.
Ainda que por meros instantes, tenho sido muito feliz!
Mesmo que essa felicidade não costume durar mais
do que o tempo que se leva
para despertar de um sonho.
Mesmo assim,
tem valido a pena!

Cada suspiro,
Cada gemido,
Cada carícia, cada afago, cada beijo…
Tudo tem valido a pena…
Cada palpitar do coração,
As boas novidades,
As conversas apaixonadas,
As noticias espaçadas,
As mensagens, os telefonemas,
Tudo,
Tudo tem valido tanto a pena!

Ensinaram-me a ter cuidado,
A não sair com estranhos,
A ser difícil,
A dizer não, mesmo quando quero dizer sim,
A testar, a pôr á prova antes de aceitar,
A fugir, a rodear, a farejar…
Mas nunca soube ser assim.
Nunca me soube proteger,
Nunca me soube escudar.

Continuo a mesma adolescente pateta
que pode esperar horas pelo namorado,
e acreditar que ele simplesmente teve um contratempo,
ou que não teve como avisar.
Continuo a aceitar desculpas, pretextos, evasivas.
A achar tudo normal, possível, realizável…

Continuo a dar-me toda,
Por inteiro,
Sem reservas,
A abrir o coração de cada vez que abro os braços,
A acreditar, a ter esperança, a confiar…

Devia ter mais cuidado comigo.
Preservar-me do sofrimento.
Proteger-me de tudo o que me possa deixar triste.
Fugir de tudo o que me possa fazer chorar.

E se assim deixasse de ser eu,
quem sabe não começaria a ser
outro alguém muito melhor?

É que quando me olho no espelho
tenho tanta pena da dona do sorriso bonito…
Tanta vontade de lhe dar um beijinho
e dizer que tudo vai passar…


Sem comentários:

Enviar um comentário