sonhando, escrevendo e imaginando

sábado, 1 de outubro de 2011

Não te atrevas a decidir por mim!...

Não tem importância…
Podes-me contar.
Porque não confias em mim?

Nada do que tenhas para me dizer
vai diminuir o amor que te tenho.
Será que não percebeste ainda?

Nada no mundo pode ser pior
do que esta dor de te perder.
Não me vou assustar,
não vou fugir,
nem vou desistir.

Não digas que não tens o direito de me pedir para ficar,
para esperar!
Tens todos os direitos do mundo,
porque tos dou eu,
porque te amo.
E porque o único direito que quero ter
é o de ficar pertinho de ti,
bem juntinha a ti.
Enquanto ris,
enquanto choras,
quando estás alegre e encantador,
quando ficas triste e sofredor.

Não sejas criança…
Fala comigo.
Não fujas,
não tenhas medo.
Não mordo.
Não arranho.
Sou só eu.
Pequena, fraca, apaixonada por ti.

Podes contar…
Será que é só isso?
Não podes ser tão inteligente
e teres-te enganado comigo dessa maneira!

Pensavas que sou o quê?
Medrosa, mimada, fútil?
Que recua ao primeiro problema?
Que sai de cena
quando o cenário ameaça ruir,
e as luzinhas se avariam e se apagam?

Não me conheces!
Não sabes os gigantes com quem já lutei!
As pedras certeiras que já lhes atirei…
Não sabes quantas vezes fechei os olhos para não cair no abismo,
e quantas vezes o consegui atravessar mesmo assim,
de olhos fechados,
só pelo instinto, sem guia,
Sem arrimo, sem nenhuma companhia…
E estou ainda aqui,
Inteira, linda, viva!

Não te atrevas a decidir por mim!
Nem penses em escolher o que é melhor para mim!~
Não me poupes, não me protejas
sem minha autorização!
Não fiques escondido atrás da sombra do descaso…

Podes tudo comigo!
O que quiseres,
Quando quiseres,
Da forma que escolheres.
Dou-te todos os direitos do mundo sobre mim.

Só não te dou autorização
para saíres assim da minha vida!
Não pelo motivo que estou a pensar,
não por isso!
Porque eu sou capaz de ficar contigo
seja em que circunstância for.
Sou capaz de enfrentar seja o que for.
Sou uma rapariga crescida.
Eu é que decido.
Não vais decidir por nós dois.
Eu não vou deixar.

Não me conheces nada ainda…

Sem comentários:

Enviar um comentário