sonhando, escrevendo e imaginando

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Podia ter sido maravilhosa!

Às vezes penso
que se não fosse ser assim como sou,
podia ser uma pessoa maravilhosa!...
Penso em todas as vezes
Em que me senti feliz,
Em que ajudei alguém a ser mais feliz,
Em que me bastou um tão pouquinho de nada
para mudar o mundo de uma pessoa do dia para a noite.

Penso em todas as alturas
Em que acreditei que o fim tinha chegado,
e em todas aquelas em que mesmo do fundo do meu mais profundo abismo,
consegui ainda assim sorrir,
Abraçar alguém,
Fazer um carinho,
Trazer um bocadinho de esperança!...

Meu Deus,
Eu podia ter sido uma pessoa maravilhosa!...
Não fora ser assim
Do jeito estranho e manhoso que sou…
E sou capaz de falar quando me apetece ficar muda a chorar.
E tenho a habilidade de me interessar a sério
por todos que estão perto de mim,
Mesmo nas ocasiões em que me sinto mais só
do que o mais solitário dos sozinhos…
E tenho sempre uma palavra de ânimo para dar,
sempre um ombro para emprestar a quem quer conversar, chorar.
E ouço tudo, e aconselho, e sorrio, e presto atenção.
E fico feliz por poder ajudar!
E fico contente por poder ser útil.
Por poder secar uma lágrima.
Ao mesmo tempo em que morro por dentro,
Ali ao lado de uma multidão apressada
Que nem me vê, nem me enxerga, nem me nada.

Que maravilhosa pessoa eu era para ser!...
Se não tivesse nascido assim,
Desta forma desequilibrada e manca de alma, como sou…
Quanta coisa bonita não podia ter feito!
Quantas obras lindas!
Quantas pessoas podia ter feito mais alegres, mais contentes!
Era para poder ser um sol a brilhar,
e não consegui ser mais do que um reflexo pálido,
de uma lua morta
que teima em piscar.

E tinha sido capaz!
Sei que tinha, sim…
Sou simpática, sou bonita.
Sei falar bem.
Percebo o que me dizem, o que não me dizem,
mas deixam no ar como um rebuçado para eu apanhar.
Tenho bom coração.
Gosto das pessoas e sei que tenho algo que não sei,
mas que faz com que também gostem de mim,
Então porquê?
Porquê eu tinha que ser nascer assim?

Que pessoa maravilhosa que eu podia ter sido!
Se não fosse ser da forma desusada como sou…
Tanto trabalho que dei!
Até para nascer!...
Já nasci a incomodar quem estava á volta,
a atrapalhar quem me queria bem.
a fazer a vida do mundo inteiro sair do trilho normal,
Já nasci a desinquietar, a confundir…
Porque não era para ser…
Mas mesmo assim,
acabei por acontecer.
E tanto trabalho que dei!
Tantas preocupações,
Com o meu feitio instável,
de borboleta assustada que teima em querer voar
mais alto do que as águias,
quando não passa de uma lagarta feia
a quem cresceram asas…

Mas cresci assim,
perdida, desconsolada, inquieta…
Sempre em busca de consolo, de carinho,
de colo.
Distribuindo sorrisos e ternura,
Encantando mesmo quando não queria encantar.
Porque se calhar a pessoa bonita
que está dentro da trapalhada e do caos que eu sou,
mesmo assim, sufocada e esmagada,
Se consegue mostrar,
se consegue deixar adivinhar…

Mas porque é que tinha que ser assim?
Porquê comigo,
Porquê a mim?
Podia ter sido tanto!
Ter chegado tão longe!
Fazer o mundo mais feliz…
E afinal, fiquei por aqui,
por ali,
por todo o lado,
e em todos os caminhos
 aonde não era para ter ficado.
Gastei o meu amor,
Com quem não me podia nunca ter amado.
Dei sempre o coração
A quem nem o queria emprestado.
E fiquei assim,
tombada meio de lado.
Como um navio que naufragou,
sem nunca ter verdadeiramente navegado.

Que pena!
Que pena que nasci assim!
Podia ter sido tão linda…
Podia ter sido feliz,
Podia ter sorrido um sorriso sem fim.

Se não fora o ser assim…

                        Foi por isso, não foi? Que não gostaste mais de mim?

Sem comentários:

Enviar um comentário