sonhando, escrevendo e imaginando

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Quanto tempo mais precisas para pensar?

Tenho saudades…
Tantas!
Já passou tempo
E mais tempo depois desse tempo…
Ainda não estás resolvido?
Ainda não te encontraste?

Tenho saudades…
Estou triste,
Sozinha.
De que me serve ser linda,
como dizem?
De que me serve ser pensante,
Como dizem?
Todos os dias estou sozinha.
Todas as noites estou sozinha.

Podia ter qualquer um
se eu realmente quisesse.
Podia experimentar com qualquer um,
Se na verdade me apetecesse.
Podia tentar expulsar a tua imagem do meu pensamento,
nos braços de um amor novo.
Podia tentar expulsar a lembrança do teu toque,
aprendendo a gostar de um abraço novo.
Podia ir,
Podia marcar,
Podia desta vez aparecer.
Deixar que me beijasse,
Deixar que me tomasse nos braços,
Experimentar se me fazia sentir prazer.
Com este, aquele, o outro,
Que interessa com quem pudesse ser,
Tu sempre soubeste que eu posso escolher.
Só tu continuas a não me ver.
Só para ti sou invisível,
Nem criança, nem mulher,
Invisível.
Nem amor, nem desejo,
Nada de nada.

Tenho saudades…
Saudades do que falávamos,
Do que escrevíamos,
Do que sonhávamos.
Saudades do teu sorriso bonito,
Dos teus olhos bonitos.
Saudades das tuas mãos,
Da tua boca,
De ti todo.
Tantas saudades…

Continuas a estar por todo o lado,
como dantes.
Nada mudou.
Já não sei mais o que fazer.
Nem que palavras empregar,
Nem o que hei-de imaginar para te trazer.
Estou a ficar sem ideias,
Cansada demais
Triste demais.
Envergonhada demais por tanto me oferecer.

Depois,
Se me chegar a ir embora,
Mesmo que corras
Já não me alcanças mais.
Pensa bem,
Mas pensa mais depressa.
O teu tempo comigo está-se a acabar.

Quando o teu lugar estiver ocupado,
Não te deixo mais entrar.
Sabes que comigo é assim.
No fim de saíres,
não podes mais voltar.

Deixa de ser cabeça dura…
Vá lá…

Sem comentários:

Enviar um comentário