sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Homens... percebem tão pouco de mulheres...

Homens…
Percebem tão pouco de mulheres.

Não sabem quase nada dos nossos mistérios adormecidos,
Dos nossos segredos mais bem escondidos,
Da forma deliciosa que temos de nos darmos e de depois nos negarmos,
De pôr e tirar, largar, apanhar e deixar,
De parecer e ser, aparentar ou só deixar ver,
De voltar á vida depois de morrer,
Sem nunca deixarmos de nos proteger.

E pensam
Que nos decifram,
E julgam que nos têm,
Apenas porque lhes deixamos antever
Um pouquinho do que temos amealhado no coração.
Um pouquinho do que guardamos debaixo da blusa,
Por dentro das calças,
Ou por baixo da saia.
Apenas porque lhes deixamos sentir o quanto nos alagamos,
O gozo que sentimos por entre os olhos que semicerramos…
Acreditam que o possuir o nosso corpo,
Lhes dá acesso livro ao nosso coração.
Fantasiam com o que não vão saber nunca
Sobre a mulher que dorme com eles na cama,
Ou que se abandona lânguida nos seus braços.

Homens…
Percebem tão pouco de mulheres…

Confundem prazer com amor,
Confundem insegurança com falta de carinho,
Confundem amizade com tesão,
Misturam ternura com erotismo,
Misturam beijos na boca com beijos no rosto,
Misturam afagos no corpo com carícias na alma.
Julgam-se muito conhecedores
Apenas porque fazem uma mulher gemer,
Suspirar,
Rebolar,
Ter prazer…

Homens…
Percebem tão pouco de mulheres…

Não são capazes de entender
Que não é preciso muito
Para que despertem o nosso desejo.
Nem é precisa muita ciência
Para que nos façam acelerar a respiração,
Nem são precisos muitos rodeios
Para chegar até aonde gostamos mais que cheguem.
E nem é uma grande vitória pessoal para eles
Terem uma mulher nos braços,
Satisfeita, relaxada, descansada.
Qualquer um consegue fazer isso!…

Homens…
Percebem tão pouco de mulheres…

Quando nos dão jóias bonitas,
Quando nos oferecem presentes caros,
Quando nos levam a almoçar a lugares requintados…
Nem imaginam que muitas vezes
Preferíamos uma flor simples,
Um beijinho carinhoso.
Um telefonema depois de jantar,
Um convite para passear
Na praia,
Para ver o mar…
Um “Olá querida, quero-te muito”
Um “Estou com saudades tuas, vou-te buscar.”
Ou um “Amo-te só porque sim, porque te amo demais!”
Ou um “-Quero estar contigo. Posso-te procurar?”

Homens…
Percebem tão pouco de mulheres…

Não é preciso muito para nos agradar.
Até as mais defendidas de entre nós
Têm sempre um ponto fraco por onde os homens conseguem entrar…
Uma carência,
Uma vulnerabilidade,
Uma lacuna a colmatar.
E gostamos de ser aduladas,
Desejadas,
Apaparicadas.
Gostamos de ser bem tratadas,
Gostamos de palavras bonitas sussurradas ao ouvido,
De toques insinuantes na mão,
Na perna,
No braço.
De festinhas carinhosas no rosto,
Feitas só com a ponta dos dedos, com medo de magoar.
De carícias de mão inteira por entre os cabelos,
Daquelas que amassam, invadem tomam conta, fazem arrepiar.
De abraços apertados que nos aconcheguem ao peito,
Que nos deixam descansar, encostadas, protegidas,
Sem termos que nos preocupar, defender ou explicar.
Não, não somos assim tão difíceis de conquistar.

Homens…
Percebem tão pouco de mulheres…

Porque difícil é levarem-nos a falar,
Custoso é deixarem-nos a pensar,
Meritório é quando nos fazem sorrir, sem nos fazerem depois chorar,
Digno de menção é quando nos escutam em vez de nos beijar
Quando nos abraçam sem nos apalpar,
Quando nos ouvem, quando nos deixam sonhar…
Louvável é o homem a quem chegamos a amar.
Porque amor é tão diferente de apenas desejar!…

Coisa de homem
Não é levar uma mulher para a cama.
Coisa de homem
É conseguir que a mulher queira continuar na mesma cama.

Homens…
Percebem tão pouco de mulheres…

            Até tu, meu amor, que és o meu homem preferido, tens ainda tanto que aprender… Tenho ainda tanto para te ensinar…

Sem comentários:

Enviar um comentário