sonhando, escrevendo e imaginando

domingo, 18 de março de 2012

Continua a ser minha amiga...

Desculpa se te desiludi,
Desculpa se não sou assim como tu pensavas…
Perdoa-me por eu não ser perfeita,
Perdoa eu ser por demais complicada…

Não sou tão inocente,
Nem tão ingénua,
Nem a minha vida é tão imaculada…

E já fiz muita coisa feia,
E já fui muito posta á prova…
E sabes?
Nem sempre me saí bem.
Nem sempre escolhi os melhores caminhos…
Não fui capaz de me manter á altura dos nossos sonhos,
Dos planos que tínhamos para os nossos destinos.

Desculpa…
Não fiques triste comigo…
Nem vás embora…
Não me olhes com olhos diferentes!
Não sou maravilhosa,
Nem sou santa,
Mas gosto de ti,
Como dantes.
E no fundo nada mudou,
Ainda sou a mesma…

Só não sou como tu.
Só não sou assim tão doce,
Tão suave,
Tão bonita,
Tão despida de fraquezas…
Tenho feridas mal fechadas e cicatrizes feias que teimam em doer,
Sempre que o tempo muda.
E cortes que teimam em sangrar quando o vento lhes dá de frente…
E aprendi a usar outros remédios,
E outros analgésicos,
Diferentes daqueles que tu usas.

Não mudes comigo!
Não desistas de ser a minha amiga querida,
Especial, de todas as horas!
Aquela que ri e que chora
Que veio de tão longe para me dar uma notícia triste
E que estava ainda mais triste do que eu…
Porque a vida fez de mim ,
o eu ter de ser assim,
um bocadinho fria...
Não desistas de ser
Aquela amiga que sonha comigo todas as minhas fantasias,
Que embarca nos meus planos sem juízo,
E que fica do meu lado seja o que for que eu escolha.
Que me responde a qualquer hora da  noite, durante todos os dias.

Se calhar não te devia ter contado…
Se calhar devia ter deixado
Que na tua imaginação eu ainda fosse
uma menina...
Simplesmente sonhadora,
Simplesmente sentimental,
Sem pecado,
Sem tentações,
Nem paixões.
Sem fraquezas, sem hesitações…

Eu faço coisas que tu não fazes,
E falo de formas que tu não falas.
E aprendi a lutar pelo que quero
Com armas diferentes das que tu usas.
Mas não sou má rapariga…
E até não mudei tanto assim…
Só tenho um corpo mais fraco,
Que se abandona às paixões.
Uma cabeça mais de vento,
Um coração cheio de fantasias,
E tu continuas,
Querida,
Amorosa,
tão linda!...
Uma pessoa boa.
Como dizia a minha mãe quando engraçava com alguém,
 “um encanto de companhia”.

Amiga querida,
Não deixes de gostar de mim…
Já andámos perdidas tantos anos!
O destino devolveu-nos uma á outra,
Por fora mais bonitas,
Mas por dentro um bocadinho diferentes.
Eu voltei para ti
Com a alma ferida,
Amarrotada,
Rota,
Mal tratada…
Muito batida pelas sovas da vida.

Mas olha,
Ainda ponho o mesmo creme amaciador no cabelo, sabes?
Como a gente fazia…
E ainda fico furiosa quando os caracóis se desmancham quando o creme seca…
Lembras-te?...
E ainda acredito que o amor é para sempre,
E que o príncipe encantado vai chegar qualquer dia…
Porque no meio de tanto que mudou,
No meio de tanto lixo, de tanta porcaria,
Nem tudo o mundo me tirou,
E muita coisa ainda acontece só porque sim,
Do jeitinho bonito que sempre nos acontecia.

Meninas da secundária,
Livros em baixo do braço
Sorriso aberto á vida…

            Hoje não falo contigo, estou a falar com a minha amiga...

3 comentários:

  1. Olá, querida amiga:
    Há qto tempo... Tentei passar algum e-mail e postar alguns comentários em alguns de seus textos qdo tenho a oportunidade de ir a uma lan house.
    Não sei se vc recebeu o e-mail q te enviei,mas continuo amando o q vc escreve, o mais importante: como estás e a tua família, tudo bem? Eu finalmente consegui me mudar e dentro em breve espero voltar a escrever regularmente e acompanhar o blog dos amigos queridos como vc. Lindo texto este, me escreve, muitos beijinhos:
    Cristina

    ResponderEliminar
  2. Olá, querida amiga:
    Há qto tempo... Tentei passar algum e-mail e postar alguns comentários em alguns de seus textos qdo tenho a oportunidade de ir a uma lan house.
    Não sei se vc recebeu o e-mail q te enviei,mas continuo amando o q vc escreve, o mais importante: como estás e a tua família, tudo bem? Eu finalmente consegui me mudar e dentro em breve espero voltar a escrever regularmente e acompanhar o blog dos amigos queridos como vc. Lindo texto este, me escreve, muitos beijinhos:
    Cristina

    ResponderEliminar
  3. Olá Cristina,
    Obrigada por continuar a seguir os meus textos,e que bom que a sua situação já está resolvida! Custou, mas foi! também tenho saudades de ler as suas escritas no blogue! Parece que foi há tanto tempo já!
    Recebi um email seu, sim, aqui há um tempo já, mas respondi. Se me mandou outro nestes últimos dias, ainda não vi... Nem sempre vou aos emails, depois deixo juntar muita coisa, e falta-me a coragem para ir lá, depois :)) Mas vou lá espreitar, a ver, e mando-lhe um, para contar coisas... Eu estou bem, vou indo. A família também está bem. Os meus filhos estão de férias da Páscoa, o meu ex-marido lá está na vida dele. E consigo, tudo bem?
    Beijinhos,
    Glória

    ResponderEliminar