sonhando, escrevendo e imaginando

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Essa sou eu...


Essa sou eu…
Como sempre fui,
Do jeitinho em que sempre me reconheço…

Apressada,
Impaciente,
Sem saber esperar…

“-Espera, calma, Glórinha,
Aprende a esperar…”
E eu, puxava a mão, não… agora… já podemos!

“-Reveja o seu teste antes de entregar…”
E eu, de olhos na rua,
No sol,
Não… tenho a certeza…

“- Mas deixa-me explicar….”
Nem meias explicações,
Ansiedade de sair do que não me parecia claro…
Curiosidade de ver o que vinha a seguir…

“- Um dia, quem sabe… algumas melhorias….”
Um dia… dali a anos, dali a uma vida…
Sem conseguir ter calma,
Sem conseguir acreditar…

“- Desta vez prometo, desta vez vou deixar…”
Cansada, tão cansada de confiar…
O pensamento longe,
numa ânsia de voar…

“-Cura não, manutenção talvez… bom se não piorar…”
O coração a bater num reprise triste,
Num bis que teimou em ecoar…

Essa sou eu…
Como sempre fui…
Do jeitinho em que sempre me reconheço…

Apressada,
Impaciente,
Sem saber esperar…

Sempre a fugir do que me faça chorar,
Sem prever,
Sem calcular…
Sem querer fazer mal,
Mas sempre a magoar…

“-Pareces uma adolescente com um brinquedo novo…”
Engano teu…
Talvez uma adolescente que não sabe brincar…

Que passa a vida a sonhar…

“-Porque já não tens cinco anos!…”
E é como se não os soubesse contar…
Porque no fundo ainda procuro um lugar
Um sitio aonde pertença,
Aonde possa ficar…

Essa sou eu…
De saltos altos na praia,
De cara lambuçada de chocolate,
De unhas pintadas de vermelho,
E o hábito estupido de corar…
O corpo na areia a escaldar,
A querer, a desejar…
E na mão,
Um livro com histórias de encantar…


Nunca encontrei quem me consiga decifrar…
Muito mais fácil é apenas fazer-me gostar…

Não aprendi, papá…
Não aprendi a esperar…



Sem comentários:

Enviar um comentário