sonhando, escrevendo e imaginando

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Estava com tantas saudades!...


Eu tinha saudades de tudo…
Não só dos beijos, mas também…
Não só das caricias, mas também…
Não só do mexer gostoso, mas também…

Eu tinha saudades da forma de olhar.

Da maneira de colocar o rosto, da maciez da barba…
Tinha saudades da gargalhada bonita,
Do sorriso luminoso…
Da forma escandalosa de me tocar,
do jeito delicioso que ele tem de me beijar!

E tinha saudades da voz, macia, baixinho no meu ouvido.
Das palavras sussurradas juntinho ao meu pescoço…

Saudades de o ouvir perguntar se me está a magoar,
Se está tudo bem, se estou a gostar…
Saudades de me deixar ser sempre a primeira,
De saber esperar…

Saudades da forma doce que ele tem de me agarrar…
Com loucura e com meiguice,
Com paixão e com carinho,
Sem me apressar…

Tinha saudades de o ouvir gemer,
De o sentir estremecer,
Da certeza que me dá de que está a ter prazer,
De que também ele está a gozar.

Estava com tantas saudades,
Mas tantas,
Que só percebi,
As saudades que tinha,
Quando ele sorriu ao ver-me chegar!

E só entendi o quanto já gosto dele
Quando ele me beijou na boca,
E me segurou na mão,
Como se tivesse receio de que eu me fosse afastar.

Não sei até quando
Durará o encantamento
Que brilha nos olhos meigos dele
Quando me está a olhar.

Nem sei até quando vou sentir saudades,
Vou querer esperar…

Mas sei que está a ser muito bom,
Faz-me muito feliz
E estou a gostar!

E assim que nos separámos
Comecei a ficar com saudades
De o ver voltar.

Sem compromisso é assim?
Simples, fácil,
Sem cobrar?
Por onde andou tantos anos,
Esta gostosa forma de amar?

Porque eu já tinha saudades de só sorrir!
De um sentimento que não me fizesse sofrer…
E tinha-me esquecido do bom que é
Gostar só por gostar,
Sem chorar,
Sem ter medo de perder.

Se tivéssemos um bocadinho mais de tempo,
Entre um beijo e outro,
Havia tanta coisa que lhe queria dizer…

Mas gosto dele,
E tenho saudades.
E isso,
porque não sei calar,
Já tive que lhe contar, e ele ficou a saber…

E gostei da maneira simples que arranjou para me responder.
Porque me soube a verdade,
Porque me mitigou a saudade,
Porque me fez fechar os olhos,
E me deu vontade
de outra vez querer.




Sem comentários:

Enviar um comentário