Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2012

O namorado que queria casar...

Eu tinha dezassete anos… Ele tinha vinte e muitos… Eu queria viver livre no mundo da rua, Ele queria tirar-me da garupa da moto, mudar-me de lugar… Ele queria casar, Eu queria só namorar… Porque era assim que a vida funcionava, dizia, Era para isso que as pessoas andavam juntas, afirmava… E eu, Eu que só queria ser feliz Sabia que não há regra imposta que determine o que temos que fazer do nosso coração…
É bom rapaz, Gosta de ti, aproveita… Aproveitar o quê? Se o que queria aproveitar Era a magia de em cada manhã ter um mundo novo para descobrir, Uma infinidade de promessas para cumprir, Um sem fim de surpresas gostosas para me divertir…
Mas não desgostava dele, E estava bem, quando estava perto dele. Simpático, Educado, Carinhoso. Um daqueles homens capazes de comer na minha mão, Como sempre recomendava a minha mãe… Que goste tanto de ti que não veja mais nada, Que te queira acima de tudo…
Mas há mais, Há muito mais do que isso. Mais do que apenas e só bem querer, Para lá do prazer, Para lá do fazer…
E haviam as r…

Simples, tão maravilhosamente simples!...

Tão habituada estava a ver nuvens no firmamento, Que quase esquecia a simplicidade bonita do céu azul…
Tantas palavras elaboradas que me disseram, Trabalhadas, Escolhidas, Estudadas… Quase me fizeram descrer das mais comuns, Das menos complicadas…
Do bom que é quando ele me diz só “tenho saudades…”
Tantos beijos mentirosos que me deram, Experimentados centenas de vezes, Treinados numa multidão de bocas, Aperfeiçoados, fingidos, melhorados, Quase me fizeram esquecer de como é bom beijar…
Do prazer que dá alagar a boca numa confusão de língua e saliva…
Tristezas que me fizeram sentir, Inseguranças de que me conseguiram invadir, Lágrimas que me deixaram chorar, Sem saber o que vem, o que está, o que será a seguir, Iam fazendo com que eu deixasse de confiar…
Na simplicidade de um abraço que faz suspirar…
Perguntas sem resposta… Respostas sem sentido… Necessidades de tempo, de espaço, Tudo misturado, Tudo perdido Numa confusão informe, num bater repetido… Tudo isso ia conseguindo Com que eu quase tivesse esquecido, Q…