sonhando, escrevendo e imaginando

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Tu não fazes ideia de mim...


Não penses que me tens,
Não me tenhas como tua.
Não me tomes como certa,
Só porque te dou a mão na rua…

Tu não fazes ideia de mim!…

Não há argola,
Não há cadeado,
Não há documento que me prenda,
Que me cole ao teu lado…

Porque vivo noutro mundo…
E o ar que respiro vem de um poço sem fundo.
E o sangue que tenho é sangue inventado…
E não tenho ainda nome encontrado…

Tu não fazes ideia de mim!…

Quando pensas que estou vencida,
Submissa,
Rendida,
Fugi já.
Estou tão longe de ti
Quanto o sol da lua!
Quanto o que falta para me fazeres tua…

Não tentes assim.
Não é dessa forma que chegas a mim.

E não quero presentes,
Nem lembranças,
Nem promessas…
Nem coisas dessas…
Estranhas artimanhas
Para me seduzir…

Quando o que ambiciono,
Nem tem preço para pedir!...

Tu não fazes ideia de mim!…

Não me prendas,
Não me compres, nem me vendas…

Só me vem falar a cada vez que te vir.
Só diz que me amas mesmo sem eu te pedir.
Não compitas,
Com aquilo com que não se pode competir.

E sê simples como tu és.
Fácil e claro como o sol da manhã que está por vir.

Não sou mulher de muita complicação
Mas sou mulher difícil de atingir.

O que é bom para mim?
Orgasmo tem que ser prazer sem fim…

Dá-me um assim…
Fora da cama,
Fora dos lençóis de cetim…

Faz-me tremer de desejo,
Mesmo sem me dares um beijo

Tu não fazes ideia de mim!…


2 comentários:

  1. ... oh pá, isto abana mesmo!! ... que sei eu do amor duma mulher? todos os dias se aprende e, vale a pena... fizeste-me pensar... ai, ai, ai...

    ResponderEliminar
  2. Olá, Henrique Santos
    Não sabemos grande coisa acerca do amor, nem da forma como ele é sentido por cada um de nós... só sabemos que tem que ser bom, tem que valer a pena. Se não... ai, ai, ai:)))
    Obrigada, beijinho para ti, da menina bonita

    ResponderEliminar