sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Não sou um bom partido


Conduzo um carro velhinho de mais de vinte anos,
A desfazer-se em ferrugem e avarias…
Vivo numa casa bem pobre e perdida no meio de coisa nenhuma,
Aonde quase não se consegue chegar sem transporte próprio,
gastando rios de dinheiro em gasolina.

E sou baixinha…

Não sei porquê…
Pensam que sou enorme.
Uso saltos altos,
Mas sou baixinha.
Metro e sessenta, mais centímetro, menos centímetro…
E não sou um mulherão.
Sou só eu.
Magrinha, pequenina…

Não tenho dinheiro…

Bebo muitos cafés,
Passo o dia a passear,
Almoço e janto fora,
Mais vezes do que me posso lembrar…
Mas um café são sessenta cêntimos,
As minhas refeições nunca vão além dos cinco euros…
E faço opções…
Deixo coisas de lado para poder fazer outras…

Nem tenho emprego…

Não sou bem paga,
Não tenho conta bancária recheada.
Nem cartões de crédito sequer…
Familiares generosos e abastados,
São coisa que desconheço,
Nem vou receber heranças de primos afastados.
O que perdi,
Se alguma coisa material perdi,
Não vou reaver mais.

E não, também não…

Não vendo as minhas noites,
Nem alugo a minha companhia.
Também não vendo fotografias,
Nem tabelo a hora e o minuto.
(nem sabia que isso se fazia).
E sou tonta e infantil
Choro e rio,
Vivo cheia de fantasias…


Não tenho nada de meu, nem riqueza nenhuma.

Deixem-me no meu cantinho,
Não percam o vosso tempo comigo.
Não sou bom investimento.
Não me façam maldades.
Só gosto de conversar,
De escrever,
De publicar fotografias.

Aos possíveis interessados,
Futuros apaixonados,
Só para ficarem avisados…
Para não terem o vosso tempo perdido…

Eu não sou um bom partido.


2 comentários:

  1. ... o importante é o que se não vê... o interior do coração vale mais do que o euromilhões... e isso ninguém te pode tirar... bjinhos

    ResponderEliminar
  2. obrigada, Henrique Santos. Pelo menos para nós, pessoas com coração, é muito importante, sim! Beijinho para ti da menina bonita, e obrigada pelo comentário.

    ResponderEliminar