sonhando, escrevendo e imaginando

sábado, 24 de novembro de 2012

Um dia hei-de...


Um dia hei-de encontrar
Alguém a quem eu possa dizer “tenho saudades”,
Um dia hei-de encontrar alguém
A quem eu possa dizer “gosto de ti”.

Alguém que não se assuste,
Alguém que não tenha medo.

Alguém que me queira mais do que ao mundo.

Alguém que não me ame em segredo.

Um dia hei-de andar na rua de mão dada com um amor bonito.
E hei-de dormir abraçada quentinha num corpo querido.

Sem receios, nem desconfianças,
Sem limites, nem retrancas.

Nem jogos de salão,
Brincadeiras de sociedade…

Livre de amar em liberdade.

Livre de ser como sou sem precisar conter.
Sem juízo, nem recato,
Sem receio de perder.

Sem a tristeza do esfriar, do esmorecer…


E mostrar que gosto quando gosto,
E gemer de prazer quando tiver prazer.

Telefonar de minuto a minuto se me der na gana,
E saber que ele me adora,
Que ele não me engana.
Que se deita comigo mesmo fora da cama.

Que fazemos amor como quem respira.

E ser dele num abraço que ninguém tira.

Adormecer com a certeza de que está lá até ao fim.
Um dia hei-de ter um amor assim…

Um dia hei-de ter alguém que goste de mim.

2 comentários:

  1. Adormecer com a certeza de que está lá até ao fim.
    Um dia hei-de ter um amor assim…
    ... e isso aconteceu e acontecerá com quem como tu mereces... bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem sei se chegou algum dia a acontecer, a não ser na minha imaginação delirante, Henrique Santos. Mas, sim, tenho esperança de que aconteça. Tudo é possível neste mundo. Obrigada pelo comentário. Beijinho grande para ti, da menina bonita:))

      Eliminar