sonhando, escrevendo e imaginando

sábado, 1 de dezembro de 2012

Hoje eu sei


Hoje eu sei…

As roupas amontoadas,
As casas desarrumadas…

Não era preguiça não.
Não era gostar de mal viver…

O sofrer que era só ter que mexer!
A vitória que era até comer, até beber…
Não ter sono para adormecer...

Os jornais nas janelas,
As trancas na cancela,
O pó no ar, aos rolos no chão…

O horror escondido no coração.

Bolor nas paredes,
Tectos cinzentos e verdes.
Sacos amontoados…
Anos e anos desarrumados.

E aquela tristeza selvagem na voz…
E aquele desespero de animal batido no olhar.

Não era maldade não.
Não era loucura não.

Hoje eu sei…

As pragas rogadas,
As lágrimas choradas,
A solidão…

Cinco, cinco e meia…

Sem ter aonde voltar.
Sem ter sonhos para sonhar.

Medo,
Só medo.

Lá fora tão escuro, tão cedo!
Vida calada em segredo…

Hoje eu sei…

E não estás cá.
A luz que escondias, aonde brilhará?

9 comentários:

  1. Olá querida! continua escrevendo assim, dizendo coisas com sentimento e alma.
    Beijinhos e bom fim de semana
    Nanda Gonzalez

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Nanda!
      Obrigada! Que bom que gostaste! Beijinhos também para ti, e tem um domingo muito feliz! Tátá:))

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Olá, boa noite, Leonor Brandão. Beijinhos, boa semana nova!

      Eliminar
  3. Olá Glória!
    Mais uma vez me surpreendes com a tua capacidade de descreveres o que te vai no pensamento,corpo, alma e coração.
    Continua sempre,nunca desistas... (de escrever nem dos teus ideais).
    Que sejas sempre muito feliz!
    Um beijo.
    Luís Parente Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Luís Parente Oliveira
      Obrigada!Ainda bem que gostaste! Eu não desisto, desistir é parar, e parar é ficar num deserto sem esperança. Sempre a caminho, não sei bem de onde, mas sempre a caminho:))
      Beijinhos para ti, e obrigada pelo comentário!

      Eliminar
  4. Ola Glorinha , li e gostei , continua a escrever assim porque de muitas coisas que dizes até já se passaram comigo , xau um beijo deste teu amigo
    Antonio dias









    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, António Dias. Que bom que gostaste! Eu sei... algumas destas coisas, acontecem com quase todos nós. Uns deixam-se afectar mais, outros menos, mas rara é a pessoa a quem não aconteceu já uma situação parecida. Beijinhos para ti, obrigada!

      Eliminar