sonhando, escrevendo e imaginando

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Maus Rapazes


Maus rapazes…
Como dantes…
Falam alto,
Falam mal,
Andam em grupo…

Maus rapazes,
E enquanto o mundo hipócrita, assustado foge,
Eu sinto o mesmo apelo antigo, de longe…

O cheiro no ar…
A promessa de aventura…

Maus rapazes,
Como dantes…

Cigarro na mão,
Bicicletas toscas encostadas nas calças de ganga esfoladas…
Novos demais para ter barba,
Pobres demais para motorizadas…

Donos de todas as ruas do mundo,
Senhores de todas as horas do relógio…
Livres como nunca são livres os meninos-bem da escola,
Selvagens como nunca serão selvagens os filhos-lavadinhos das mães engomadas…

Maus rapazes,
E eu olhava…

Anos
Tantos anos passaram…
E no rosto de cada um,
Apesar de desconhecido,
Vejo as marcas que ficaram…

Como se estivessem comigo de novo
Fantasmas amigos que reencarnaram…
Vozes antigas que voltaram…

O calão é outro,
A ginga no olhar é igual…
A meiguice disfarçada na pose afectada de andar…

Maus rapazes…

Nenhum era capaz de ser mau de verdade.
Sinto-me ainda entre eles,
Sombra penada sem idade…

Princesa solta num grupo de rebeldes,
Que só queriam alguém para gostar…

Maus rapazes,
Não canso de os olhar, lembrar…

Em que esquina, em que rua,
Costumam agora parar?...

4 comentários:

  1. Olá Glória.
    Aqui,em minha casa!!!Aqui está um desses maus rapazes...convertido agora, em "bom rapaz"...será???Não sei!!!Só sei que já fui livre, como o vento...só me regia, pelo meu pensamento!!!E não me lembro de tamanha liberdade...tamanha felicidade!!!
    Gostei!!!
    1 beijo,
    L.P.O.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem provou um dia o gostinho bom da liberdade, não volta mais a ser feliz confinado... Podemos até ficar acomodados, agradados pelo conforto tranquilo da rotina que passa, mas... aqueles dias selvagens, de vento, de espaço, de não ter fim, esses dias ficam no coração, como uma tentação. Também não me lembro de tamanha felicidade, Luis! Obrigada pelo comentário, "bom rapaz"... Beijinho grande, ainda bem que gostaste!

      Eliminar
  2. Maus rapazes,
    Não canso de os olhar, lembrar…


    Em que esquina, em que rua,
    Costumam agora parar?...

    ... eu estou aqui... mas não sou mau rapaz... eheheheheh
    bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que não, Henrique:)) E no fundo, eles também não são. Pelo menos na sua maioria, pelo menos os que eu conheci.... Trilhamos caminhos diferentes, e fazemos opções diferentes uns dos outros... de vez em quando as nossas estradas cruzam com as de outros viajantes... não melhores, nem piores, vão "na deles"... Beijinho da menina bonita para ti, e muito obrigada pelo teu comentário!

      Eliminar