sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Não queiras saber nada de nada


Se estiveres comigo e a noite chegar…

E eu fugir com medo de mim…
Ajuda-me a voltar.

Segura-me de encontro a ti,
Não me deixes afastar…
Ainda que eu peça.
Ainda que eu comece a chorar.
Passa, sempre passa,
Eu volto a serenar.

É só porque tenho medo,
E vem o escuro e tenho medo…

Estou sozinha há tanto tempo
Que o tempo se perdeu do meu contar.
Só sei que o escuro vem sempre para me buscar.

O medo é como droga dura,
Que custa largar,
Que morde no corpo de quem a quer abandonar…

E vai e vem,
Chama como quem quer acolher, guardar,
E se o ouvimos e vamos
Não conseguimos mais voltar.

Se estiveres comigo e a noite chegar…

Não me deixes sozinha…
Vela comigo.
Não saias, não me deixes abandonada.
Não fujas, não me largues na estrada.

Quando eu acordar depois da tormenta passada,
Podes afastar os cabelos do meu rosto,
Podes beijar a minha boca molhada.
Faz-me esquecer porque estou tão cansada.

Não queiras saber que luta é a minha,
Não queiras saber nada de nada.

Porque eu perco-me no escuro sempre que a noite chega,
Mas sou de quem me espera na madrugada.

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada, Leonor! Beijinho para ti, tem um dia muito feliz, e ainda bem que gostaste!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Olá, Armando! Obrigada! Tão bom quando gostam do que fazemos! Beijinhos!

      Eliminar
    2. continua a escrever assim e ainda me apaixono, verdade qeu gosto do que li e que tenho lido, continua e nao tenhas medo se me apaixonar rsrsrsrsrsrsrsrs

      Eliminar
    3. Não tinha lido este comentário :) Já lá vão alguns anos, o perigo já deve ter passado :)

      Eliminar
  3. ...Porque eu perco-me no escuro sempre que a noite chega,
    Mas sou de quem me espera na madrugada.

    Se a madrugada chega, tudo se transforma em bom... em optimo... e mais não digo, n'é?
    bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um beijinho grande para ti, Henrique. Aonde quer que estejas.

      Eliminar