sonhando, escrevendo e imaginando

terça-feira, 19 de março de 2013

Se soubéssemos quando vamos...


E se soubéssemos
Quando vamos…
Será que íamos chorar menos?
Será que íamos sofrer menos?

Quantas palavras não calamos
Porque pensamos que temos todo o tempo do mundo!...
E julgamos que podemos a qualquer altura dizer…
Como se não houvesse no fundo
Limite de tempo para viver.…

Porque não deixar saber?

Depois é tarde.
Já não ouvimos,
Já não sentimos.
Já não há nada a fazer.

Falar enquanto nos podem ouvir.
Elogiar enquanto nos podem sorrir.

Depois não interessa.
Depois nada vem, do que ficou por vir.

Se eu for amanhã
E se nunca mais nos voltarmos a ver,
Não levo comigo nada por te dizer.

Nem te guardo rancor,
Nem mágoa pelo que não conseguiste fazer.

Continuei a viver
Do jeito que me ensinaste…
Um dia de cada vez.
Um presente novo em cada momento,
Prazer e alegria no pensamento.

“Um dia quando eu morrer,
Ensinas a outro qualquer
O que estás a aprender”…
Lembras-te?
Nunca consegui esquecer.

Se fores antes de mim,
Não te preocupes,
Eu sei tudo o que não me chegaste a dizer.

4 comentários:

  1. Se fores antes de mim,
    Não te preocupes,
    Eu sei tudo o que não me chegaste a dizer

    Gostei meniniha, gostei, bjinhos

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Henrique! Que bom que gostaste! Beijinho muito grande para ti também!

    ResponderEliminar
  3. Doce Glorinha, adorei.
    Sabes dizer tão bem, encontrando as palavras certas, o ritmo, as entrelinhas...
    Diz. Diz tudo, sim.
    Parabéns. Beijinhos.
    Milly

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinhos, Milly. Obrigada! Que bom que gostaste. Eu digo sempre, mostro sempre. Já perdi pessoas demais na vida, sei que há oportunidades que não se repetem, e momentos que não regressam. Nunca sabemos quando é a ultima vez, há que aproveitar enquanto os nossos queridos estão por perto. <3

      Eliminar