sonhando, escrevendo e imaginando

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Deixa-me livre, ama-me solta...


Vem e roça…
Encosta em mim e estremeço…
Vem aragem que sopra,
Caricia de vento,
Cor de alegria que pinta o meu dia.

Ciclistas vestidos com calças garridas,
Caminhantes com fitas nos cabelos…
E ao longe as montanhas, as árvores…
O mundo baixinho, pelos tornozelos…

Entra no meu decote
Raio de sol que aquece o mundo inteiro.
Azul de um céu mais real do que verdadeiro
Som de gargalhada cristalina que brota de alguém feliz…

Venham todas as coisas bonitas,
Gostosas,
Que fazem a minha vida ser mais bela.

Venham e fiquem comigo!

E apanho uma bebedeira de cor, de som, de alegria.
E bebo, caio, curto e ressaco no mesmo dia.

E sou á uma
Mulher menina, sedutora doce criatura…

Vem e cheira-me,
Encosta e passa a mão com calma,
Passa o dedo devagarinho, assim … faz sim...
O rastilho aceso que deixares a queimar a minha alma,
É por onde a vida vai entrar em mim.

Essa mão humana com que me dás prazer,
É só a forma que a Natureza encontrou de me ter,
De me namorar e surpreender.

Aprende comigo, enfim…

Não sou mais tua,
Do que a vida é de mim.

Deixa-me livre… ama-me solta.

6 comentários:

  1. Não sou mais tua,

    Do que a vida é de mim.

    arespondo com um poema meu antigo:
    Teu corpo no meu

    Abraçar o teu corpo sujo de areia
    procurar nele a tua resposta,
    interiorizar o teu sentir no meu,
    esperar pela onda da madrugada,
    a onda que tolda o teu olhar,
    que te faz depender de mim,
    mesmo por alguns momentos!
    É bom ter-te, sentir o teu pulsar,
    mesmo suja de areia,
    lavar-te na espuma deste mar,
    do mar dos meus sonhos...
    Das realidades do meu passado,
    oh vida, obrigado pelas dádivas,
    destas memórias de amor!

    Ricky 06-05-1987

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão lindo, Henrique! Eu sei como é... por muito livres e independentes que sejamos, existem sempre momentos em que ficamos carentes,dependentes, quanto mais não seja para não cairmos quando as ondas salgadas nos turvam a vista. Quem está connosco, ou percebe esses momentos, ou não. Ou os aproveita, os valoriza, e se confirma como especial nas nossas vidas, ou nem seque dá por isso, e fica sem saber a oportunidade que desperdiçou. Por isso algumas pessoas ficam, outras só passam por nós.
      Gostei muito do poema! Obrigada pela resposta linda! Beijinho muito grande para ti!

      Eliminar
    2. Glória e Ricky, quanta sensibilidade, adorei, li e voltei a ler os dois vezes sem conta...adorei, simplesmente linnnnndoooos.Bjinhos

      Eliminar
  2. Amiga Glória Vibro !
    Simplesmente, um beijinho de parabéns.
    Gostei imenso
    Teu amigo de sempre e para sempre
    António

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, António! Obrigada! Que bom que gostaste! É sempre muito gostoso saber disso.
      Beijinho com amizade, tudo de bom para ti!

      Eliminar