sonhando, escrevendo e imaginando

quinta-feira, 2 de maio de 2013

O inferno no coração


Bonita…
Não sei…
Mas diferente, sim.

Apetitosa aos olhos,
Tentadora para as mãos…

Com o inferno no coração.

De vez em quando acredita, esquece a profecia maldita.
E deixa o sol entrar…

Porque apesar de tudo, nunca deixou de sonhar.

Nalgum lado do mundo tem que estar escondido
Tudo aquilo que foi prometido.
Se fores uma menina linda, se te souberes comportar…

A vida deu-lhe essa estranha mania de confiar.

Como um cãozinho perdido que vai atrás de quem não o desanca á paulada.
Que julga ter encontrado um abrigo em cada pedacinho de pão.
E depois percebe que afinal não encontrou nada.

Bonita?
Não sei…

Mulher bonita não transporta o inferno no coração.

Mulher bonita sabe sempre quando dizer sim, quando dizer não.
Sem medo de magoar,
Não é este lixo ambulante que vive a hesitar.

Ficou escuro de repente na sala da minha alma.

E tenho medo.

Fecharam-se as portas e desapareceram as saídas de emergência.
Não eram saídas a sério, oh cabecinha tonta!
Era tudo só imaginação.
Lá fora ninguém quer saber se escapas ou não…

Bem no cantinho da parede,
Escorrego sobre mim mesma e deixo-me chorar.
Isso não te serve de nada, vais ter que te levantar.

Se não se acenderem as luzes, não sabem aonde me encontrar.
“Quando a bola não ressalta, não se pode jogar.”

2 comentários:

  1. Respostas
    1. sabes um daqueles dias em que estamos com o Inverno no coração?... Foi isso, mas já passou:) Emoções terroristas e clandestinas, mas que aparecem de vez em quando... Beijinhos reais para ti também, Henrique. E muito obrigada!

      Eliminar