sonhando, escrevendo e imaginando

quarta-feira, 19 de junho de 2013

50- Velocidade Controlada

50- velocidade controlada

Não ultrapasse, ou cortam-lhe a estrada.

Não creia que pode mudar o mundo velho.
Olhe lá à frente o sinal vermelho…

Não queira voar mais, sempre mais.
Contenha-se…
Seja igual aos demais.

Siga a boa velocidade!
Sendo que boa, é a que determina a tabuleta.:)

Nada de ideias de que pode vencer o vento…
E que consegue enganar as máquinas.

Cometa loucuras, atreva-se!
Que diabo espera para ir correr aventuras?…

Mas sem tomar o freio nos dentes.
Espetam-lhe a espora nos flancos…
Fazem-no baixar a garipa à força da chibata.

Ultrapasse a velocidade controlada,
Ouse pisar o acelerador,
Queira viver sem temor,
E cortam-lhe a estrada.

É ilusória a liberdade que o asfalto nos dá…

Finja que é livre na gaiola dourada que lhe coube nesta insana jornada.
Respeite o que alguém disse que você não pode ultrapassar.

Faça dos nossos, os seus limites!
Está na sua mão ser feliz.:)

Pode parar, inverter, virar!
Se preferir pode até travar!
E levar a sua viagem a fingir que está a andar.:)

Mas não passe dos 50-velocidade controlada.
Ou então quem pode, corta-lhe a estrada.

E mais nada.


Não há detector de radar que nos possa salvar.

6 comentários:

  1. Os radares são perigosos e estão em qualquer esquina.Todo o cuidado é pouco.
    *********************
    http://gracitamensagens.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estão sim, Ricardo! E disfarçados, o que ainda os torna mais odiosos:)) Beijinhos, obrigada!

      Eliminar


  2. Não há detector de radar que nos possa salvar.

    Pois não... bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, Henrique... A não ser que aceitemos, e sigamos junto aos demais... a 50 à hora, com a velocidade controlada.
      Beijinho da menina bonita! Obrigada!

      Eliminar
  3. Muito bem
    Mais vale respeitar todos os limites.

    visitem-nehttp://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até porque em certas alturas, nem temos outro remédio se não respeitar tudo.
      Obrigada, Cidália! Beijinhos!

      Eliminar