sonhando, escrevendo e imaginando

domingo, 2 de junho de 2013

Dono de todo o mundo

Hoje na praia estava um vagabundo.
Um como eu, dono de todo o mundo.

Foge dessa gente que tem piolhos!
Mamã querida,
Piolhos fazem parte da vida…

Olha-se e vê-se que não é boa rês!
Se soubesses, minha mãe,
As coisas que a tua filhinha já fez!…

Olhou para mim e percebeu.

Não viu o bikini pequenino de cor garrida.
Não me viu como uma mulher gostosa estendida…

Sorriu para dentro de mim.
Cheirou a minha alma perdida.

No seu rosto escurecido pelo pó de toda a vida,
No seu olhar cansado por tanta estrada batida,
Eu reconheci-o também.
Tenho pena, minha mãe

Um igual a mim.
Outro sem abrigo.

Sem eira nem beira.
Sem ninguém que o queira.

Perdidos na praia das pessoas normais,
Fingindo ser como os demais…

A apanhar sol.

Nem ele homem, nem eu mulher.
Foragidos anónimos de uma terra qualquer.

Quem passava por nós não percebia.
Mais ninguém via…

Olhos cheios de vendavais,
Raiva e fúria em doses iguais.

Deitados na areia escondidos da Inquisição.
Com medo da fogueira que nos condena o coração.

Feiticeiros antigos do princípio do mundo.

Uma sem abrigo e um vagabundo.

6 comentários:

  1. Puxa, até suei frio...
    Gostava de estar perto para te dar um bjinho... calma que o mundo é melhor!!!! bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também gostava que tivesses estado perto, Henrique. Eu sei... e dias melhores virão! Como sempre, felizmente. Beijinhos da menina bonita para ti, e obrigada!

      Eliminar
  2. Bjcas Glorinha, cada vez te superas mais e mais. Mas nada de desanimar, algo de bom estará reservado para Ti

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estará com certeza, Victor Quaresma! Numa destas esquinas dá de caras comigo... talvez na próxima, já... Talvez já me tenha encontrado, e me esteja a deixar ir embora... Beijinho grande para ti! Obrigada pelo comentário!

      Eliminar
  3. Um poema introspectivo de uma alma extrovertida...
    Virar a alma do avesso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. viramos a alma ao avesso, e descobrimos depois que esse era afinal o lado certo... Avessas, direitas, tudo tão relativo na vida da gente...
      Beijinho! Obrigada!

      Eliminar