sonhando, escrevendo e imaginando

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

No sangue quente, de quem é louca gente

Há muito tempo que estava guardada, de mim arredada.
Escondida, arquivada.

Pensei que nunca mais…
É como reencontrar uma velha amiga, irmã de sangue.

A loucura. Minha loucura.

Fugi dela há tanto tempo!
Quis fazer de pessoa ajuizada.
E quase conseguia, quase parecia curada.

250 g de açúcar, 250 g de farinha
1 colher de fermento pequenina…
Uma pitada de deixa ser,
Um cheirinho de bom que é viver

Quis crescer e quis parecer ser como os demais. Pessoas normais.
Mas fui tão mais feliz nos loucos dias!… Tão mais!
Loucura…
Por ande andaste?
Ao veres-te sem mim, por quem me trocaste?

Bom! Tão bom!...
Chega perto,
Encosta,
Vem…
Não esqueci como ser louca sabe bem!

Está no sangue. No sangue quente de quem é louca gente.

Louco é quem acredita em ser feliz.
Quem pensa o que o coração diz…
Abençoada insanidade que está na minha raiz.
Nem irascível, nem dura.
Doidice pura.

Alguma fada, quando nasci, me dotou com a benesse da loucura.

   Quem me dera que me ames, quando me conheceres um pouquinho mais.
   Que não te assustes, que não naufragues nos meus temporais.

4 comentários:

  1. Bom dia
    Gostei muito de ler! De loucos todos temos um pouco!
    Adorei ler

    beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, boa noite, Cidália!
      É verdade, somos um bocadinho a soma das duas partes. A loucura e a sanidade. Em proporções que só cada um de nós é capaz de saber. Ou não...
      Obrigada pelo comentário! Beijinhos para ti:)

      Eliminar
  2. Quem me dera que me ames, quando me conheceres um pouquinho mais.
    Que não te assustes, que não naufragues nos meus temporais.

    Ai, ai, menina bonita ai, ai.... bjinhos, gostei claro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinhos, Henrique! Obrigada!
      Fico muito feliz por teres gostado! Noite boa para ti, e um fim de semana cheio de alegria!

      Eliminar