sonhando, escrevendo e imaginando

sábado, 31 de agosto de 2013

Podem quase tudo

Podem invadir a nossa casa,
Revirar os nossos armários.
Desarrumar a nossa mobília e confiscar o que quiserem.

Podem levar o nosso automóvel
E requisitá-lo para serviço do que bem entenderem.
E podemos vê-lo depois passar com outra gente lá dentro.

Podem congelar o nosso dinheiro no banco,
Mudá-lo de dono e de nome.
Deixar-nos pobres como Jó num só segundo de tempo.

Conseguem arrancar-nos dos nossos terrenos,
Despojar-nos das nossas habitações.
Tirar-nos para fora do nosso país.
Podem tornar-nos apátridas indesejados nesse grande mundo.
E mudar os nomes antigos e dizer que o que houve nunca existiu.

E podem bater no nosso corpo e torturá-lo.
Obrigar-nos a confessar tudo o que nem sonhámos nunca fazer,
Qual Winston de 84, numa ficção real a acontecer.

E violar as nossas carnes,
E fazerem-nos aceitar em nós o que nem nome pode ter.
Podem excitar o nosso sexo até nos inventarem prazer,
E dizerem ainda depois que estávamos a querer.

E podem num requinte de malvadez atar as nossas mãos,
Prender as nossas pernas e deixar-nos colados á força neste chão.
Negar-nos o ultimo consolo dos que estão exaustos de sofrer.

Podem.
Podem quase tudo.
Já vi acontecer.

Mas não conseguem mexer na nossa alma.
Não conseguem tocar a parte não tocável do nosso coração.
Não nos obrigam a gostar do que não gostamos,
Nem a acreditar no que não acreditamos.

Isso não podem não!

Somos mais do que um corpo indefeso.
Somos mais do que um saco de ossos cobertos de músculo e pele.
Só dispõem de pequena parte de nós.

E enquanto tolos, se banqueteiam com a nossa rendição
Mal sabem que já escapámos da sua mão.
Estamos no outro lado secreto de nós,

Naquele lugar para onde fugimos quando estamos sós.

4 comentários:

  1. Bom dia
    Até em arrepiei ao ler
    Gostei desta parte, e acho que é verdade!

    [Mas não conseguem mexer na nossa alma.
    Não conseguem tocar a parte não tocável do nosso coração.
    Não nos obrigam a gostar do que não gostamos,
    Nem a acreditar no que não acreditamos].

    Bom fim de semana
    beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Olá, Cidália! Boa noite
    Também acho que é verdade. Temos em nós uma parte que é só nossa, de mais ninguém. E que permanece inviolável, façam o que fizerem connosco. Talvez por isso, sejamos tão resistentes.
    Beijinho, e obrigada pelo comentário. Ainda bem que gostaste!

    ResponderEliminar



  3. E enquanto tolos, se banqueteiam com a nossa rendição

    Mal sabem que já escapámos da sua mão.

    Estamos no outro lado secreto de nós,


    Naquele lugar para onde fugimos quando estamos sós.

    Gostei muito, bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu gostei que tivesses gostado! Beijinhos, Henrique! Obrigada! Uma boa tarde, e uma semana feliz para ti!

      Eliminar