sonhando, escrevendo e imaginando

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Só de vez em quando...

Vem-me uma certa tristeza.
Vem.
Claro que vem.
Quando vejo todos com companhia no domingo,
E eu sem ninguém.

Até o meu amor, é pertença de outro alguém.

Casais sozinhos,
Famílias.

Tal como eu já fui um dia.

Fugi disso tudo.
Ou tudo isso fugiu de mim
Quando acabou o pó de magia enganada,
E ficou só poeira suja de beira de estrada.

Mas ás vezes sinto-me desanimada.
Parece que cheguei a meio da vida,
Sem nada.

Nem companhia para as compras aborrecidas da semana…
Nem tão pouco compras para fazer,
Porque desisti de comprar coisas por fazer.
Compro tudo feito…
Como diriam os meus amigos da juventude…

Mentira:)) Não é em tira. É tudo inteiro:))
Já soube, e já me esqueci que sei…

Ecos…
Ecos, só.

Nem eles estão,
Nem eu sei mais quem sou.

Aonde estou…

Mas sou livre.
E não tenho horas de entrar, nem sair.
À noite já não preciso ter medo de dormir…

Painha vs Lacarrilha…

Cigana sedentária meio perdida.
Alma foragida nos dois lados da vida.


2 comentários:

  1. Eu sei o que é... uma destas tardes tomamos um café... pode ser?
    bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser sim, Henrique! Mas claro que sim! Café quentinho e muita bula-bula.
      Beijinho para ti, e depois combinamos:)) Obrigada!

      Eliminar