sonhando, escrevendo e imaginando

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Um dó li tá...

Faz de conta…
Pense depois, seja feliz primeiro.

Real.
Imaginação.
Anani, ananão…
Um do li tá…

Faz de conta.
Como num labirinto de espelhos.
Imagens perdidas das suas imagens.
Pessoas á procura de onde estão.
Aquela sou eu, a outra não.

E se nenhuma delas for a minha versão?
Nem a mais gorda, nem a mais magra,
Nem a que melhor me fala ao coração…

E se eu for como os vampiros?
Se não aparecer nos espelhos…
Cara de amendoá…
Quem está livre, livre está.

A quem amas na escuridão?
Eu, ou imaginação?

Se a vida estiver dentro de um espelho...

Não me procures no reflexo que não sou eu.
Encontra-me dentro daquilo que é meu.
Mal-me-quer, bem-me-quer…
Só mulher.

Faz de conta.
E eu, como sei se és?
Um aviãozinho militar atirou uma bomba ao ar…
Em qual de ti foi parar?
Como posso acreditar?

O mundo de mentira é mais bonito do que o verdadeiro...

Pares trocados… realidade invertida.
Imaginação de faz de conta vestida.
Amas o que pensas que sou.
E eu amo a tua imagem reflectida.

Agora eu era o herói, e o meu cavalo só falava inglês…

Faz de conta uma, outra, e mais outra vez.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

O outro lado do meu arco-íris

Reúne nele o melhor de cada amor que já tive…

A irreverência dos 16 anos.
O toque de rebeldia, de inconformismo.
O olhar maroto.
Palavras que soam familiares de séculos para mim.

O carinho meigo e amigo,
O gentil cuidado comigo.
A forma doce de me dar a mão, de me abraçar.
A ternura no estar.
Tive amores parecidos em tempos idos.

Toque quente,
Beijos gostosos.
Caricias escaldantes…
Vontade de fechar os olhos,
De sentir a vida toda num segundo…
Houve também quem me desse isso,
E nisso estivesse contido todo o mundo.

Tenho vontade de passar horas a ouvi-lo falar para mim.
Só meu pai sabia tantas coisas assim.
E a voz dos dois, às vezes, soa a voz parecida…
E tenho a mesma sensação boa de me saber protegida.

Toca-me, e derreto-me como gelado de chocolate ao sol de Verão.
Encosta-se, e encontro-me no bater apressado do seu coração.

Como se estivesse a fazer amor com o melhor de cada um dos meus amores.

Mas é diferente de todos, é especial.
Tem algo que mais ninguém tem igual.
Junta nele tudo o que quero, amo e preciso.
Mas tem aroma único, e sabor exclusivo.

E quando me dou a ele, sinto que é meu o mundo inteiro,
E que amá-lo é comungar com o universo.
Rima solta em cada verso.
A vida colocou no mesmo homem todos os tesouros que eu quis.


Mil cores numa só… o outro lado do meu arco-íris.