sonhando, escrevendo e imaginando

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Todo o mundo é pouco



Todo o mundo é pouco,
Porque meus já tinham sido os céus e os ares.
Minhas foram as ruas do mundo para andar.
Ninguém pode voltar a ter mais.

E os meus olhos têm todo o sal do mar.

Se fores minha, faço de ti uma rainha.

Quem quer reinar?
Só se vive de respirar,
Sentir,
Seguir sem saber aonde ir.

Boneca morta pode ser guardada numa prateleira.
Mulher viva não se consegue amestrar.

Ficas e posso confiar?

Como posso prometer o que não sei como dar?
Vazio, vazio dentro de tudo o que vejo.
Para onde foram as almas que não consigo encontrar?

Às vezes sinto que voltei só para as buscar…

Vê-me como sou, assustada e louca.
Pode ser este o verdadeiro strip, meu amor.
Aquele em que dispo a alma e me podes avaliar.

Seios bonitos, cintura marcada e ancas redondas…
Mais todo o resto que já te consegui mostrar.

Não tenhas medo de mim quando não me reconheces.
Não te limites á minha imagem nua.
Por baixo da pele, está a mulher que pode vir a ser tua.

Se é que tenho o direito de te pedir para ficar…

2 comentários:

  1. Olá Glória!
    Como diz o poeta:"Valeu a pena? Vale sempre a pena........." e como valeu esperar um bocadinho, não me vou alongar em adjetivos, digo apenas:LINDO. Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Quim! Ainda bem que gostaste, e fico muito feliz por ainda teres paciência para ler as minhas "escrevinhações".
      Um beijinho muito grande, e um xi-coração apertadinho para ti! Tátá:)

      Eliminar