sonhando, escrevendo e imaginando

quarta-feira, 19 de março de 2014

Vivo nos dois lados do espelho

Tenho duas vidas, eu…
Em cada uma delas
Existo de forma diferente.

Qual das duas será permanente?
Em qual delas serei para sempre?

Numa vida minha
Sou feliz, tranquila.
Vejo o mundo doce com olhos de menina…

Na outra vida, que também me pertence,
Luto contra dragões e esconjuro feitiços.
Atravesso fossos pendurada em passadiços.

Ai de mim!

Ou me arrasto em lugar de terramotos,
E vegeto em planaltos remotos,
E me perco em descampados mortos.
Assombrando palácios em ruínas, tortos…

Ou me dou em jardins de beleza sem fim…
E mil sois encarnados se põem em mim.
E me cubro de estrelas num céu de cetim,
Deixo-me ir num escandaloso frenesim…
O mundo todo como gostoso festim.

Vivo nos dois lados do espelho…
Espelhos são ladrões que roubam a alma.
Misturam a raiva, misturam a calma.

Partir espelhos dá azar…
Só ouso tocar.

Guarida,
Asilo,
Solo sagrado…
Deste, do outro lado…

Contigo tudo é bonito!…
Não importa o lado da vida aonde eu fico,
Não importa o lugar aonde eu for.
Aonde tu estiveres, está o meu amor.


4 comentários:

  1. Já te acho uma pintura, mas ainda gosto mais destes seus "auto-retratos", com toda a sua sensualidade ( característica ) e máscaras. Parabéns, de novo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Eduardo! E eu gosto muito dos teus comentários, também sabes disso:) A gente vai pondo a máscara que a vida requer no momento, vai vivendo a vida possível no momento... e sonhando, ah, isso sempre:) Beijinhos, e mais uma vez, obrigada pelo comentário!

      Eliminar
  2. Oh Glória! Duas vidas, três ou quatro, a maratona da vida afinal tem várias vidas e do equilíbrio delas resultará a nossa felicidade? Obrigado pelo alerta, que por vezes eu esqueço-me que temos várias vidas. Lindo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que sim, Quim... Espero que consigamos equilibrar todas as nossas vidas, e alcançarmos a paz, a tranquilidade, a felicidade. Eu tento conciliar os meus mundos, os meus afectos, as minhas vidas... No fundo, sabes o que acho? Se for preciso escolher, que tenhamos a coragem de escolher pelo que nos deixa mais entusiasmados, mais alegres, mais felizes. Porque viver "tem que ser mais do que o simples exercício de respirar", como dizia o poeta:) Até lá. olha... vamos navegado em mares calmos, ou agitados, levando o barco a bom porto e deixando ser. Beijinho grande, obrigada pelo teu comentário! Fico muito feliz por teres gostado.

      Eliminar