sonhando, escrevendo e imaginando

terça-feira, 1 de abril de 2014

Até a madrugada passar

Não me acordes de noite…

Não faças barulho a levantar,
Não me toques ainda que devagar.

Tu não sabes por onde ando,
Em que mundos me deito a vaguear.

Pensas que está na tua mão o meu despertar.

Não podes nem imaginar…

Quando durmo, eu viajo.
Quando durmo, estou sem estar.

Não se desperta quem dorme.
Pode a pessoa perder-se ao regressar.

Nem todos os lugares que visito,
Que costumo frequentar,
São lugares para onde te possa convidar…

Não me acordes de noite.


Espera até por mim… até a madrugada passar.

Sem comentários:

Enviar um comentário