sonhando, escrevendo e imaginando

quarta-feira, 21 de maio de 2014

O tempo em que mudávamos o mundo

Lembro-me do tempo em que mudávamos o mundo…
Em que nenhuma dificuldade era mais forte do que a nossa vontade de viver.
Se não havia dinheiro para comer, inventávamos comida.
Se não tínhamos casa, brincávamos ao faz-de-conta que esta casa é nossa.
Lembro-me…
O mundo rugia para nos assustar, e respondíamos com gargalhadas...
Até as lágrimas não pareciam como hoje parecem, não tão salgadas.
Nada era impossível então para nós. Nada!
Quando alguém pensava que não íamos conseguir, largávamos a rir.
Eles nem sabiam o que diziam.
Derrotávamos o universo e ainda respondíamos em verso.
Lembro-me dos problemas que nasciam como cogumelos em terra farta.
E vencíamos. Sempre vencíamos!
Aparecia uma solução de onde menos esperávamos.
E quando não aparecia, éramos nós que a fabricávamos.
Improvisávamos.
Remediávamos.
Inventávamos.
Atravessámos anos assim…
Tantos anos que o tempo se enroscou em mim…
Ainda hoje,
Ainda hoje quando a vida me faz chorar, dá-me uma vontade tão grande daquele tempo!
Daquele tempo que não sei olvidar.
Éramos fabricantes, artesãos, criadores.
Éramos o que fosse preciso ser, pintávamos o nosso sol com mil cores.

Eles dizem que o carro não é capaz de sair donde está… Tolos!
Nós tirávamos-lo de lá, nem que fosse desmanchado.
E é dessa certeza que tenho saudades...
Desse perpétuo e sempre possível disparate.
Desse tempo ao de leve, em que viver era apenas fazer um biscate.


Sem comentários:

Enviar um comentário