sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Dia 26 já pode o mundo acabar

Saberia que é Natal mesmo que não soubesse.

Ainda que os calendários acabassem…
“Se o relógio parar, continua a ser Natal”

Era verdade então,
E continua a ser assim.
Natal é magia para mim.

A canela agora é açúcar branco de compra.
O pinheiro fica parado sem piscar.

Eu saberia que é Natal
Só pelos sinos a tocar,
O algodão a nevar.

Que sinos?
Que algodão?

Fecho os olhos.
Dlão, dlão, dlão…
Branca noite a chegar.

Não bebes mais nada hoje.

Meu Pai Natal velhinho de barbas grandes.
Minha estrela pendurada a faiscar…

Reis Magos com esperança de um dia chegar.

Prendas são embrulhos que nunca vou desatar.

Fitinhas coloridas cheias de vida,
Veneração pelo que não sei explicar.
Presépio de barro para adorar.
Consoada,
Noite de Galo.

Saberia que é Natal.
Saberia sempre que é Natal!

Portei-me bem,
Portei-me mal…

Antes do cigarro acabar.
Espera.
Aprende a esperar.

Eu sei que é Natal.

E dia 26 já pode o mundo acabar.

Sem comentários:

Enviar um comentário