sonhando, escrevendo e imaginando

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Escolho ficar




E disse-me que eu era livre.
Livre…

Disse que se eu quisesse podia partir.
Abriu até a porta para eu sair.
E ir…

Quem iria cantar para ele nas madrugadas?
Se eu me fosse quem ouviria as suas mágoas?

Abriu a porta,
Mas não basta abrir.
Nem sempre saímos quando podemos sair.

Eu já conheci os ares e fui feliz.
Fico com pena da sua alma que é pequena.
Pequena demais para voar.
Por isso não vou.

Só peço a porta sempre aberta,
Porque não sou obrigada a ficar.


Sem comentários:

Enviar um comentário