sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 20 de março de 2017

Os ganchos dos teus cabelos


Não és tu quem escolhe os ganchos do teu cabelo.
Nem o corte, a altura, ou a forma de o segurar.
Tanto te faz se vestes calças, ou saia, vestido ou calções.
Os sapatos podem ser chinelos, sandálias, ou outros sem tacões.

Ignoras se estamos no Verão, se no Inverno.
Nem sabes que existe mudança de estações.
Março, Maio ou Dezembro não passam de insignificantes palavrões.

Se estás em Portugal, Moçambique, Austrália ou Canadá,
Para ti é igual, tanto te faz.
Os governos podem ser de direita, esquerda ou radicais,
Os homens podem digladiar-se nas ruas,
Os exércitos comportarem-se como seres infernais,
Tu estás sempre em paz.

Anos chegam e vão, sem notares.
Um beijinho, um abraço,
Um tanto que dizes, mesmo sem falares.

Dinheiro?
Profissão?
Namorados, estudos, e outros assuntos complicados?
O que é ?
De que vale tudo isso?
És um rio manso que corre sem parar.

Perdoa filha linda,
Porque houve uma época em que eu te quis mudar.

Hoje sei que nada importa mais do que o verde fundo do teu olhar.

Cortaram-te as tranças,
Dizem que não és mais criança,
Que sabem eles todos?
Não existe termo para te classificar.

Sem comentários:

Enviar um comentário