sonhando, escrevendo e imaginando

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Índia



Salto num pulo,
Pulo do lobo.
Menina ladina com farto cabelo.

Ninguém lhe sabe a idade,
Ninguém consegue sabê-lo.

Ri a quem passa,
A todos fala com graça.
Gosta de ser admirada,
Ama ver-se desejada.

Não cabe em definições,
Não se encaixa em padrões.
Dela se diz que ninguém a conheceu.

É como a madrugada a raiar o dia.
Chita barata, em seda macia.
Banquete de rei,
Num menu plebeu.

Se é feliz?
O povo diz que basta vê-la na rua.
Mais do que isso é interdito,
Rouba o mistério, tira a magia.

Salto num pulo,
Pulo do lobo.
Menina ladina com farto cabelo.

Pandora linda,
Não abras a caixa,
Não soltes desgraças.
Fica sempre assim, menina que passa,
Em inocente chalaça,
Num perpétuo desvelo.


Sem comentários:

Enviar um comentário