sonhando, escrevendo e imaginando

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Lindas cabecinhas vazias


Porque é que nunca ri como elas?
Em quantos anos pequenos se gastaram os meus 14, 15 anos?

Entram aos magotes pela camioneta dentro.
Os seus comentários são alegres.
As suas gargalhadas cristalinas.
Acham graça a tudo...

Tão alegres!
Como podem ser tão alegres?
Porque é que nunca senti essa alegria?
Porquê?

Tive a mesma idade que têm.
Vesti as mesmas roupas que vestem.
Ouvi as mesmas músicas da moda.
Namorei, passeei, cantei.
E talvez quem me visse de longe me confundisse.
Talvez me achasse uma menina comum.

E elas?
Tão leves, tão fúteis, tão simples…

Olho o grupo mais próximo em busca de alguém diferente,
Alguém mais igual ao eu de outros tempos.
Ninguém.
É um cardume perfeito de sardinhas parecidas.

Mas estão certas elas.
Errada estive eu.
O erro foi meu.
Como são bonitas!
Lindas cabecinhas vazias…


Sem comentários:

Enviar um comentário